Tuts
 

Exercicios resolvidos teorema de euler Tuts



Conteúdo programático ensino médio


No Ensino Médio: Exercícios de fixação dos conceitos para serem desenvolvidos em sala de aula e Exercícios Propostos como tarefa de casa. CDs multimídia com aulas virtuais e exercícios com resolução comentada, enriquecendo a programação dos livros. Cada professor receberá, por bimestre, um livro da sua disciplina, com gabarito comentado, acompanhado de um CD com aulas, com exercícios e com simulados resolvidos.

Quatro encontros anuais, entre direção e professores das escolas conveniadas, com direção comercial e pedagógica do sistema, além dos autores do material didático. Possibilidade de personalização dos livros, por meio da inserção do nome da escola conveniada nas capas.

  • Size of file: 9 MB
  • Num pages: 72
  • Date posted: 2013-07-03 06:22:02

LiÇÕes em


nizar a farta documentação gerada nessas disciplinas ao longo dos anos, compreendendo notas de aula, listas de exercícios resolvidos, trabalhos práticos e provas propostas. Muito mais do que isso, é o compromisso que sentem de compartilhar com a comunidade acadêmica suas experiências de ensino na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Estas Lições se preocupam, ao mesmo tempo, em valorizar conteúdos tradicionais – solidamente organizados por gerações de grandes mestres – e em agregar conteúdos contemporâneos, devidamente adaptados ao curso de graduação, mas que muitas vezes são tratados apenas na pós-graduação.

Em acréscimo ao aprofundamento conceitual tradicionalmente perseguido na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, estas Lições se propõem a ilustrar extensivamente as possibilidades de aplicação das ferramentas desenvolvidas na solução de problemas fundamentais de Mecânica das Estruturas, entendida de forma ampla e, portanto, não restrita à Engenharia Civil. Efetivamente, as Lições em Mecânica das Estruturas poderão ser igualmente úteis nos cursos de Engenharia Mecânica, Mecatrônica, Naval, Química, de Minas, Aeronáutica e Aeroespacial, além de tantos outros em que a análise de sistemas estruturais seja requerida.

  • Size of file: 3.5 MB
  • Date posted: 2013-06-22 01:54:04

Clculo diferencial e integral i - universidade do vale do paraíba


Usaremos esse resultado para encontrar formulas para as derivadas das funções trigonométricas inversas. Seja duas funções y=f(x) e sua inversa 1/y = y-1= 1/f(x) = f-1(x). Se o coeficiente angular da reta tangente um dado ponto a na função y é m o coeficiente angular da reta tangente do mesmo ponto a na função y-1 é o recíproco 1/m.

Em matemática, as funções trigonométricas inversas são as inversas das funções trigonométricas. Algumas vezes são chamadas de função de arco, pois retornam o arco correspondente a certa função trigonométrica.

  • Size of file: 2.4 MB
  • Num pages: 18
  • Date posted: 2013-06-21 12:48:18

AnÆlise matemÆtica iii - guias de ficheiros


Adquirir métodos e técnicas estruturantes do raciocínio cientí…co e matemático que proporcione um espírito crítico. Dominar conteúdos matemáticos associados à Análise Complexa, às Equações Diferenciais Ordinárias, Séries de Fourier e Geometria Diferencial no espaço, ao nível de conceitos e aplicações. Utilizar conhecimentos matemáticos na resolução de problemas e interpretação da realidade.

Adquirir competências matemáticas que possam vir a ser desenvolvidas e aplicadas em contexto pro…ssional empresarial, de investigação ou de ensino. 3 4 Programa O aluno deverá dominar o Cálculo Diferencial e Integral, em R e em Rn , bem como conceitos básicos de Álgebra Linear.

  • Size of file: 2.2 MB
  • Num pages: 227
  • Date posted: 2013-06-26 22:49:43

CÁlculo - saraiva s/a livreiros editores


INTRODUÇÃO AO CÁLCULO PARA ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA E CONTABILIDADE A obra apresenta o cálculo de forma didática, trazendo aspectos MORETTIN | HAZZAN | BUSSAB Há pouquíssimos livros de introdução ao cálculo no mercado, e se Introdução ao CÁLCULO para administração, economia e contabilidade 100 PEDRO A. BUSSAB 95 75 25 5 0 calculos novo segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 15:28:46 Pedro A. Bussab Introdução ao Cálculo para Administração, Economia e Contabilidade ISBN 978-85-02-06768-4 Av.

Marquês de São Vicente, 1697 — CEP 01139-904 Barra Funda — Tel. : PABX (0XX11) 3613-3000 Fax: (11) 3611-3308 — Televendas: (0XX11) 3613-3344 Fax Vendas: (0XX11) 3611-3268 — São Paulo - SP Endereço Internet: http://www.

  • Size of file: 2.1 MB
  • Date posted: 2013-06-27 03:59:13

Www.claudio.sartori.nom.br


O fator integrante será: e∫ Exemplo 1- Dada a equação diferencial y=2x, ache a solução geral e ilustre graficamente. Dê a solução particular que satisfaça: y = 3 quando x = 0. Y’=2x dy dx = ∫ 2 xdx ⇒ y = x 2 + C dx P ( x ) dx = e∫ e −x −3 x2dx 3 3 +C = e−x 3 3 dy − 3x 2 e − x y = x 2 e − x dx Solução: 8 6 y(x) = 4 2 0 2 4 2 0 2 4 Um tipo simples de equação diferencial é 2 Figura quando temos: 1 - Família de curvas do tipo y = x +C.

M ( x) + N ( y ) y ' = 0 ⇔ M ( x) + N ( y ) dy =0 dx 3 = eC = e − x 3 3 d ⎛ − x3 ⎞ 2 − x3 ⇒ e − x y = ∫ x 2 e − x dx ⎜e y⎟ = x e ⎠ dx ⎝ 3 1 y = − + Ce − x 3 1 0 4 − 3x y = x dx d2y ⎛ dy ⎞ − x⎜ ⎟ = x 4 2 dx ⎝ dx ⎠ ⇒∫ P ( x ) dx I ( x) = e ∫ 2 dy + p( x) y = q( x) dx ∫ q(x)I (x)dx ⇒ I (x) = e∫ p( x)dx I (x) Exemplo 2-Um circuito RL simples consiste em um resistor R e um indutor L ligados em série, conforme ilustrado na figura ao lado, com uma força eletromotriz constante V. Fechado o interruptor em t=0s, segue-se e uma das leis de Kirchhoff para circuitos elétricos que,se t>0, a corrente I satisfaz a equação diferencial: L dI + RL = V.

  • Size of file: 2.1 MB
  • Num pages: 28
  • Date posted: 2013-06-24 01:02:30

Universidade federal de santa catarina - ufsc departamento de


4 AGRADECIMENTOS A Deus, por ter me dado a graça da vida; Ao meu orientador Professor Eliezer, pela incomparável orientação; A todo o corpo docente deste centro e funcionários que contribuíram direta ou indiretamente para esta conquista. A todos os colegas e amigos que acreditaram e colaboraram para que esta conquista se realizasse. E a todos os familiares que souberam entender as dificuldades e me ajudaram a seguir em frente 5 Sumário Resumo Introdução 2 3 6 6 13 1 Geometria do Compasso 1.

2 Solução dos problemas geométricos de construção aplicando só o compasso. 4 Aplicação do método de inversão na geometria do compasso 15 19 2 Geometria da Régua 26 26 27 2.

  • Size of file: 609 KB
  • Num pages: 10
  • Date posted: 2013-06-22 18:23:03

Otas de ula Álculo iferencial e ntegral


Deve servir como um material de auxílio, principalmente no momento em que se realizam a aulas. Divisão das notas: Parte I – Limite de funções Parte II – Derivada Parte III – Derivada: aplicações Parte IV – Derivada: estudo das funções Parte V – Integral indefinida Parte VI – Integral definida e aplicações Eron eron@cefetba. Br CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I ERON 3 PARTE I LIMITE DE FUNÇÕES CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I ERON 4 SUMÁRIO Limites – um pouco de história Introdução ao limite Limites laterais Existência e unicidade de limites Propriedades dos limites Continuidade Propriedades das funções contínuas Limites envolvendo indeterminação 0/0 Limites infinitos Limites no infinito Limite envolvendo função infinitesimal e função limitada Limites fundamentais Equação de retas assíntotas Séries numéricas infinitas Definição de derivada.

Exercícios de fixação Funções hiperbólicas Tabela de indeterminações Resposta dos exercícios Referências bibliográficas CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I ERON 5 LIMITES – UM POUCO DE HISTORIA Limites nos apresentam um grande paradoxo. Todos os principais conceitos do cálculo – derivada, continuidade, integral, convergência/divergência – são definidos em termos de limites.

  • Size of file: 565 KB
  • Num pages: 41
  • Date posted: 2013-07-01 04:00:26

()x1 ()x2 ()x1 , y1 e ob ()x2


chamada módulo ou norma do número AB são obtidas isto é, as componentes de subtraindo-se das coordenadas da extremidade B as coordenadas da origem A, razão pela qual complexo Z = x + yi, e indicada por Z , onde também se escreve AB = B − A. REPRESENTAÇÃO VEORIAL DOS NÚMEROS COMPLEXOS No complexo C, cada número complexo z pode ser representado por um vetar de Origem O(O, O)e extremidade P(x,y) afixo de z. ROTAÇÃO DE VETORES COM NÚMEROS COMPLEXOS Conforme visto anteriormente, a multiplicação de complexos se procede da seguinte maneira: (r.

Cis(α+β) Im(z) uu ur z = ( x, y ) = OP = x + yi Podemos entender a multiplicação de um z por um outro complexo (de modulo r e argumento α) multiplica o seu módulo original por r, e rotacional (no sentido trigonométrico) sua de α no plano complexo. Ou seja: Im(z) B 0 x Re(z) α Da figura, um complexo pode ser escrito na forma trigonométrica: Z = | z |.

  • Size of file: 559 KB
  • Num pages: 10
  • Date posted: 2013-06-26 15:45:31

Www.portalsaberlivre.com.br


42 FLUIDOS E CLASSIFICAÇÃO DE FLUIDOS E SEUS COMPORTAMENTOS. 7 – Estudo da consistência de um corpo fluídico em termos da sua viscosidade, por meio da análise de causa e efeito. 1 - Lei da viscosidade de Newton - coeficiente de viscosidade e Fluidos Newtonianos.

9 – Comportamento da viscosidade dos fluidos em função da taxa de deformação. 3 – Modelo de Ostwald de Waele para fluidos ou Lei da Potência.

  • Size of file: 553 KB
  • Num pages: 109
  • Date posted: 2013-06-27 18:10:13

Pmc-2230 – mecÂnica dos fluidos i – grande Área de mecÂnica


T 04 T 03 T 02 T 01 2ªFeira 7:30h 2ªFeira 7:30h 3ªFeira 13:10h 4ªFeira 7:30h 01/08 01/08 02/08 03/08 08/08 08/08 09/08 10/08 15/08 15/08 16/08 17/08 22/08 22/08 23/08 24/08 31/08 31/08 31/08 31/08 12/09 12/09 13/09 14/09 19/09 19/09 20/09 21/09 26/09 26/09 27/09 28/09 T7 ANÁLISE COM VOLUMES DE CONTROLE FINITOS Equações de Conservação do Momento da Quantidade de Movimento Angular. 03/10 03/10 04/10 05/10 10/10 10/10 10/10 10/10 17/10 17/10 18/10 19/10 24/10 24/10 25/10 26/10 31/10 31/10 01/11 09/11 07/11 07/11 08/11 16/11 21/11 21/11 22/11 * 3ª PROVA (10:00 horas - Anfiteatro do Biênio) 23/11 23/11 23/11 23/11 PROVA SUBSTITUTIVA (10:00 horas - Mecânica) 30/11 30/11 30/11 30/11 2ª PROVA (10:00 horas - Anfiteatro do Biênio) ANÁLISE DIFERENCIAL DOS ESCOAMENTOS Movimentos do elemento fluido : translação, deformação linear, deformação angular, dilatação volumétrica. Equações do Movimento de Euler como simplificação das Equações de Navier-Stokes.

Soluções Simples para Escoamentos Incompressíveis e Viscosos. T8 Aula a ser ministrada em data agendada posteriormente 2.

  • Size of file: 273 KB
  • Num pages: 4
  • Date posted: 2013-06-26 16:18:02

Pmc-2230 – mecÂnica dos fluidos i – grande Área de mecÂnica


01/10 01/10 02/10 03/10 17/10 17/10 17/10 17/10 08/10 08/10 09/10 24/10 22/10 22/10 23/10 31/10 29/10 29/10 30/11 07/11 05/11 05/11 06/11 14/11 12/11 12/11 13/11 21/11 3ª PROVA (10:00 horas - Anfiteatro do Biênio) 28/11 28/11 28/11 28/11 PROVA SUBSTITUTIVA (10:00 horas - Mecânica) 05/12 05/12 05/12 05/12 2ª PROVA (10:00 horas - Anfiteatro do Biênio) T8 ANÁLISE DIFERENCIAL DOS ESCOAMENTOS Movimentos do elemento fluido : translação, deformação linear, deformação angular, dilatação volumétrica. Equações do Movimento de Euler como simplificação das Equações de Navier-Stokes. Soluções Simples para Escoamentos Incompressíveis e Viscosos.

APLICAÇÕES E EXPERIÊNCIAS: 21/27A 22/28B 29/35A 30/36B 2ªFeira 2ªFeira 3ªFeira 3ªFeira 7:30 h 7:30 h 7:30 h 7:30 h SEMELHANÇA, ANÁLISE DIMENSIONAL E MODELOS Análise Dimensional. L1 Determinação dos Grupos Adimensionais; Adimensionais 30/07 usuais na Mec.

  • Size of file: 250 KB
  • Date posted: 2013-07-01 05:38:09

0. exercícios de revisão


exercícios de revisão Os seguintes exercícios podem ser resolvidos aplicando estas igualdades. Mostre que, se a, b ∈ Z, então a4 − b4 não é um número primo. Factorize os números: 106 − 1; 224 − 1; 108 − 1; ; 215 − 1.

Mostre que a) se a > 1 e an + 1 é primo então n é uma potência de 2; b) se an − 1 é primo então a = 2 e n é primo; c) se an + bm é primo então (n, m) é uma potência de 2. Mostre que 22 − 1 tem pelo menos m factores primos distintos.

  • Size of file: 198 KB
  • Num pages: 10
  • Date posted: 2013-07-02 04:20:24

Plano de ensino


CONTEÚDO Relação momento – curvatura; Equação diferencial da linha elástica; Método da integração direta. Estado plano de tensão (ou duplo); Estado plano de deformação; Círculo de Mohr; Estado triplo de tensão. Forma geral dos critérios de resistência (ou de falha); Critério da máxima tensão cisalhantes (Tresca) para materiais dúcteis; Critério da máxima energia de distorção (Von Mises) para materiais dúcteis; Comparação entre os critérios de Von Mises e Tresca; Teoria da máxima tensão normal; Teoria de Mohr Modificada – Teoria de Mohr Coulomb; Seleção e uso dos critérios de falha.

Trabalho de uma força; Energia de deformação para carga axial; Trabalho de um momento; Energia de deformação para momento fletor; Princípio do trabalho virtual: treliça e viga; Teorema de Maxwell; Teorema de Castigliano. Índice de esbeltez; Condições de fixação das extremidades; Fórmula de Euler – Limite de aplicação; Carga crítica de flambagem; Tensão de flambagem.

  • Size of file: 158 KB
  • Num pages: 2
  • Date posted: 2013-06-26 12:22:44

Edital nº 02, de 21 de janeiro de 2011 conselho gestor do


1 O material bibliográfico proposto pode ser de autoria individual ou coletiva e pode ter sido publicado previamente pelos proponentes. 2 O material bibliográfico proposto não pode violar qualquer legislação nacional ou internacional, conter dados ou informações que possam constituir ou ser entendidos como incitação à prática de crime ou penal, conter ofensa à liberdade de crença, nem dados ou informações de caráter racista, discriminatório ou antiético. 3 O material bibliográfico proposto não pode ter sido produzido por terceiros nem ser cópia total ou parcial de livros, teses, dissertação, monografias, apostilhas, etc, de autores que não estejam participando da proposta.

4 Caso os proponentes não detenham integralmente os direitos de publicação do material proposto, tanto texto quanto imagens, é de sua responsabilidade obter as devidas autorizações e comunicá-las, por escrito, ao Conselho Gestor do PROFMAT, quando da entrega definitiva do texto para publicação. 1 As propostas devem ser enviadas, exclusivamente, por e-mail para o endereço secretaria.

  • Size of file: 102 KB
  • Num pages: 7
  • Date posted: 2013-06-22 12:48:45

Instituto politÉcnico de tomar escola superior de tecnologia de


A Departamento de Engenharia Mecânica Curso de Engenharia Mecânica 3. 2 Equilíbrio de uma massa líquida constituída por líquidos de densidades diferentes 3. 1 Linha de energia e linha piezométrica em regime uniforme 7.

10 Validade das leis de resistência 16 9,2 3 1,7 10 5,8 10 5,8 16 9,2 Ficha da Disciplina de Mecânica dos Fluidos – 2 INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR Escola Superior de Tecnologia de Abrantes – E. A Departamento de Engenharia Mecânica Curso de Engenharia Mecânica Cronograma Semana 1 2 3 4 Aulas Teórica Teórico/Prática Prática Teórica Teórico/Prática Prática Teórica Teórico/Prática Prática Teórica Teórico/Prática Prática Teórica 5 Teórico/Prática Prática Teórica 6 Teórico/Prática Prática Teórica 7 Teórico/Prática Prática Teórica 8 Teórico/Prática 9 Prática Teórica Teórico/Prática Prática Teórica 10 Teórico/Prática Prática Teórica 11 Teórico/Prática 12 Prática Teórica Tópicos Apresentação.

  • Size of file: 92 KB
  • Num pages: 7
  • Date posted: 2013-06-28 00:03:23
About us-Contact us